O que acontece com as suas informações na internet quando você morre?

Recentemente o Google anunciou o “Google Inactive Account Manager”, uma página onde você configura o que deve acontecer com a sua conta Google quando ela ficar inativa por um tempo determinado. Apesar de não ser explícito, esse serviço serve para aqueles momentos onde as pessoas passam dessa para uma melhor.

Na verdade, esta tem sido uma preocupação frequente, já que, a cada dia que passa, nos conectamos a diferentes serviços e espalhamos o nosso rastro digital através da web, mas raramente pensamos o que acontece com toda essa informação depois de alguns meses, anos ou décadas. Lembrando que provavelmente ninguém além de você tem acesso às suas contas online, o que ocorre com elas depois disso?

Gerenciador de Contas Inativas do Google

Vamos começar por esta novidade do Google. Esse é um dos primeiros serviços a oferecer algo que te dá tanto controle sobre as informações – mesmo após a morte, esta funcionalidade se baseia em quatro etapas:

  1. Quanto tempo sua conta pode ficar inativa;
  2. Avisa por e-mail e SMS que sua conta está inativa;
  3. Notifica e/ou compartilha dados com terceiros;
  4. Exclui a conta;

Através desta configuração simples, você pode escolher quanto tempo sua conta ficará inativa até que o serviço seja ativado. Após ativado, ele irá lhe enviar um e-mail e um SMS avisando sobre a inatividade de sua conta. Caso você não faça login, um email que você mesmo escreveu é enviado para contatos que você escolher, o que inclui a opção de compartilhar as informações do Google com este contato. Se após tudo isto a sua conta continuar inativa, você pode deixar marcada a opção para excluir a sua conta automaticamente, o que inclui todos as suas páginas, comentários, marcações de +1, etc. Literalmente, ele some com toda a sua vida que está ligada ao Google.

Você pode optar por deletar a sua conta se ela ficar inativa.

Você pode optar por deletar a sua conta se ela ficar inativa.

O que acontece com o meu perfil no Facebook?

Apesar da importância do Google na vida digital de qualquer usuário da web, não podemos esquecer que para cerca de 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo, o Facebook é a versão mais completa do seu perfil online. Nesta rede social você coloca muito mais informações e opiniões do que as pessoas precisam realmente saber.

Então, se você morrer, o que exatamente acontece com o seu Facebook?

Apesar de – por enquanto – não ter nenhuma opção oficial tão complexa quanto a do Google, o Facebook oferece uma das mais bizarras disponíveis “no mercado”. Como anunciado neste post oficial de 2009, você pode, através deste formulário, solicitar que um perfil de uma pessoa morta seja transformado em memorial! Isso mesmo, ele mantém o perfil ativo para sempre para que as pessoas deixem as suas mensagens de condolência. O perfil não pode ser mais adicionado como amigo e, em teoria, ele não deve mais aparecer como amizade relacionada, anúncios publicitários, etc.

Também há a opção de você se tornar mundialmente famoso através do aplicativo “If I Die First” (Se eu morrer primeiro), uma aplicação conectada ao seu Facebook que promete lhe dar a fama mundial publicando o seu vídeo de despedida na página inicial do Mashable caso você seja o primeiro cadastrado a morrer. Você pode conhecer mais sobre este projeto acessando este link.

Quer apenas deletar ou transformar em um memorial?

Quer apenas deletar ou transformar em um memorial?

E a minha conta do Twitter?

Não tão simples quanto o Google e não tão bizarro quanto o Facebook, o Twitter tem uma página explicando o simples processo de solicitação de remoção da conta de um falecido. Não há grandes mistérios: eles pedem que algumas informações e cópias de documentos sejam enviadas para o escritório deles, como você pode conferir acessando este link.

As informações solicitadas pela empresa são:

  • Nome de usuário do falecido (o @ dele);
  • Cópia da certidão de óbito;
  • Cópia de documento de identidade (Como a carteira de motorista, carteira de identidade, etc);
  • Uma declaração do solicitante incluindo:
    • Nome e sobrenome;
    • Informações de contato;
    • Endereço de email;
    • Relacionamento com o falecido;
    • Dizer o que fazer com o perfil;
    • Um link para obituário ou nota de jornal sobre a morte (opcional);

Estas informações devem ser enviadas para o endereço do escritório principal do microblog:

Twitter, Inc.

c/o: Trust & Safety

1355 Market St., Suite 900

San Francisco, CA 94103

Fax: 1-415-222-9958

Qual dúvida sobre este processo pode ser tratada através do email [email protected] Lembrando que o microblog não tem como oferecer o acesso da conta a qualquer outra pessoa, ou seja, as suas opções serão – provavelmente – deletar a conta ou manter ela com um link para o obituário do usuário.

Meu currículo do LinkedIn

Após a sua morte, você – provavelmente – não vai mais estar procurando emprego, não é mesmo? Afinal, sua vida profissional já era. Portanto, é possível que alguém queira deletar o seu perfil no LinkedIn. Assim como no Twitter, o processo é simples. Você deve acessar o formulário indicado neste link e enviar algumas informações básicas, incluindo o documento de óbito.

O processo será verificado e caso tudo estiver ok, eles entram em contato com o solicitante e deletam o perfil na rede social.

O que fazer com todas as minhas outras senhas?

Sabemos que a nossa vida online não está resumida apenas às nossas redes sociais, temos diversos outros serviços e senhas que usamos diariamente. Como dar acesso a todas estas contas de uma forma simples?

A startup Legacy Locker promete guardar as suas senhas, carta de despedida e até um vídeo de testemunho e enviar para uma pessoa escolhida por você após a sua morte.

Está é uma forma eficaz de deixar toda a sua vida digital nas mãos de alguém que você confia, desta forma a pessoa poderá tomar as decisões sobre o que fazer com as suas informações e a sua presença online após a morte.

Esta brincandeira tem um custo, já que o serviço tem três planos. No gratuito você pode adicionar até três contas e enviar esta informação para uma pessoa. No plano pago, são 29,90 dólares por ano (cerca de R$60) para poder incluir quantas contas quiser, enviar para quantas pessoas quiser e incluir um vídeo de despedida. Há a possibilidade de pagar 299,90 (cerca de R$600) que garante o serviço para sempre.

Para utilização deste serviço, você precisará cadastrar duas pessoas de confiança que serão usadas para confirmar o seu falecimento. Após a confirmação, os dados, carta e vídeo de despedida serão enviados para as pessoas selecionadas.

E o meu smartphone? O que acontece com os dados das minhas contas do iTunes, Google Play e etc?

Tão forte quanto as redes sociais, hoje em dia também temos os smartphones e tablets que acompanham boa parte da população em seu cotidiano. Geralmente, para usar um aparelho com iOs (iPhone & iPad), você precisa vincular a sua conta da Apple (iTunes), assim como precisará vincular a sua conta Google para usar o Android ou a sua conta Microsoft para usar o Windows Phone.

No caso da Apple não há formulário para notificar a morte ou qualquer coisa semelhante, e uma discussão levantada recentemente sobre o acontece com os seus bens comprados deixou claro que nada que você comprou da Apple poderá ser passado adiante. Segundo o artigo “Death and iTunes”, da MacWorld, os termos dos serviços da Apple deixam bem claro que nenhum bem digitalmente adquirido poderá ser deixado como herança, portanto todos os seus aplicativos, filmes e músicas compradas na empresa jamais serão passados para alguém. Os termos de uso dos serviços da Apple incluem este trecho:

You may not rent, lease, lend, sell, transfer, redistribute, or sublicense the Licensed Application and, if you sell your Mac Computer or iOS Device to a third party, you must remove the Licensed Application from the Mac Computer or iOS Device before doing so.

Você não poderá alugar, emprestar, vender, transferir, redistribuir ou sublicenciar a Licença de Aplicações, se você vender o seu Mac ou aparelho iOs [iPod, iPhone ou iPad] para algum terceiro, você deve remover a Licença de Aplicação deste aparelho.

Esta discussão foi levantada e exaustivamente discutida quando, supostamente, o ator Bruce Willis (famoso por filmes como Duro de Matar) estaria entrando com um processo contra a Apple por não poder deixar as suas músicas em seu testamento. A CNET fez um artigo muito interessante sobre o assunto.

Ainda sobre os serviços da Apple, o iCloud mostra o seguinte trecho em seus TOS (Terms of Use, Termos de Uso em português):

You agree that your Account is non-transferable and that any rights to your Apple ID or Content within your Account terminate upon your death. Upon receipt of a copy of a death certificate your Account may be terminated and all Content within your Account deleted. Contact iCloud Support at www.apple.com/support/icloud for further assistance.

Você concorda que a sua conta não é transferível e qualquer direito sobre o seu ID Apple ou conteúdo da sua conta será deletado em sua morte. Assim que recebermos uma cópia de certificado de sua morte, a conta será deletada junto com todo o conteúdo disponível nela. Contate o suporte do iCloud para mais assistência.

Tudo que você comprou no iTunes vai junto com você para o além.

Tudo que você comprou no iTunes vai junto com você para o além.

E a minha conta Microsoft?

Para aqueles que ainda usam os serviços da Microsoft, como o Hotmail e agora o Windows Phone, a informação encontrada está neste fórum de ajuda da empresa.

Você precisará recolher alguns documentos padrões como:

  • Certificado oficial de obituário do usuário;
  • Documento assinado pelo profissional de saúde ligado a morte do usuário;
  • Documento que comprove a sua ligação com o falecido;
  • Uma cópia dos seus documentos de identificação oficiais;

Com estes documentos em mão, você pode enviar por email, fax ou carta para o seguinte endereço:

[email protected]

Fax: (425) 708-7851.

Next of Kin

One Microsoft Way

Redmond, WA 98052

Assim como nos outros serviços, ninguém poderá ter acesso a senhas e informações pessoais, mas o solicitante poderá pedir um CD que contenha todos os seus emails, fotos e arquivos guardados dentro dos servidores da Microsoft.

Provavelmente estes termos se apliquem também aos seus aplicativos baixados na Microsoft Store, então, assim como na Apple, você não poderá ter acesso ao que foi comprado através do serviço da Microsoft.

Minha conta Yahoo (que inclui o Flickr)

Para os usuários do Yahoo e seus serviços, o tratamento será o mesmo que a Apple. Como fica claro em seus TOS, você concorda ao criar sua conta que, após notificada, a empresa irá deletar todos os seus arquivos, como deixa claro este trecho do documento:

No Right of Survivorship and Non-Transferability. You agree that your Yahoo! account is non-transferable and any rights to your Yahoo! ID or contents within your account terminate upon your death. Upon receipt of a copy of a death certificate, your account may be terminated and all contents therein permanently deleted.

Sem direito a repassar ou transferir. Você concorda que a sua conta do Yahoo não seja transferível e qualquer direito a seu ID Yahoo ou conteúdo da sua conta serão deletados na sua morte. Para isto é necessário uma uma cópia do testamento de óbito.

Como você pode ver, cada serviço tem suas especificidades e a tendência é que os serviços criem métodos automáticos de lidar com esses dados, assim como o Google fez ao criar o “Gerenciador de Conta Inativa”. Com centenas de milhões de usuários, estes serviços vão acabar não conseguindo vencer a demanda se tiverem que deletar manualmente todos os usuários falecidos de seus bancos de dados.

PUBLICADO POR

Dennis Altermann

Fundador-Editor aqui no blog Midiatismo, trabalhando com marketing digital na DuPont Pioneer do Brasil. Entusiasta e estudioso nas áreas de comunicação, cultura, comportamento e tecnologias digitais.

Novidades e atualizações, direto em seu e-mail