Você pagaria R$0,10 para enviar um tweet? Ou R$3,00 para assistir a um vídeo no Youtube?

Você já parou para pensar na importância que a popularização da banda larga tem para a produção de conteúdo dentro da internet? Talvez você não tenha parado para pensar, mas foi a partir dos anos 2000 que a internet começou a crescer em uma velocidade considerável, coincidentemente é a época onde a internet banda larga começou a se popularizar lá fora. Este movimento começou a dar as caras nas terras brasileiras após 2005, graças ao delay Brasil (Praticamente toda a tecnologia chega por aqui com um pouco de atraso).

Para contextualizar o termo “banda larga”, que pode ter várias definições dependendo do contexto, vamos considerar qualquer internet mais rápida que a internet discada (56Kpbs) e que possa ficar conectado por tempo ilimitado, ou seja, que você não paga por pulso ou por minuto. No Brasil a quantidade de domicílios com banda larga passou os que usavam internet discada apenas entre 2007 e 2008, não tanto tempo atrás assim. Nos EUA, a banda larga passou a discada em 2002, quando 21% da população já tinha conexão a internet através da banda larga, enquanto no Brasil apenas 17% dos brasileiros tinham conexão com a internet (discada + banda larga) em 2007.

quanto-custa-envio-facebook

Esta seria uma mensagem comum no Facebook de um universo paralelo.

Analisando a banda larga por esta perspectiva percebemos que você não tem mais um valor diretamente relacionado ao o que você faz dentro da internet. Enquanto na era da internet discada você gastava alguns centavos apenas para acessar a internet por 10 minutos, hoje você paga um valor fixo independente de quanto tempo passa online ou quanto download faça. Esta diferença de custo abre espaço para a pergunta levantada no título, você iria gastar o seu dinheiro para passar alguns minutos no Facebook? Para assistir um vídeo no Youtube? Iria gastar o seu dinheiro para escrever em um blog?

Se não não tivesse sido inventada a banda larga e/ou ela não tivesse se tornado tão acessível, provavelmente não teríamos 1/10 de conteúdo que temos disponível hoje; Não teríamos serviços se tornando empresas bilionárias; Não teríamos memes se espalhando com tanta velocidade; e o mais preocupante, talvez não tivéssemos tanta colaboração em massa como temos hoje.

Mas está é a preocupação de um mundo paralelo, pois agora que – pelo menos nós – já temos internet 24 horas por dia fica difícil imaginar um mundo sem ela. Esta é uma reflexão para pensarmos se não estamos publicando apenas porque podemos ou se realmente queremos passar aquilo adiante.

PUBLICADO POR

Dennis Altermann

Fundador-Editor aqui no blog Midiatismo, trabalhando com marketing digital na DuPont Pioneer do Brasil. Entusiasta e estudioso nas áreas de comunicação, cultura, comportamento e tecnologias digitais.

Novidades e atualizações, direto em seu e-mail