Publicidade Mobile: Publicidade Visual vs Publicidade de Conteúdo

Já faz algum tempo que venho estudando mais especificamente a publicidade mobile, ou melhor, o uso de tecnologias móveis (celulares, smartphones, tablets e derivados) como um formato/mídia que pode ser ainda muito explorado. Inclusive tenho desenvolvido um mini-blog, no qual pretendo guardar algumas notícias sobre o tema e também alguns comentários sobre projetos.

Uma das questões mais discutidas em torno desta área é qual seria o melhor formato a se explorar, já que temos diversos tamanhos de telas e possibilidades de utilizar a tecnologia. Você pode criar sites, aplicativos, banner, histórias patrocinadas, links patrocinados, sms, mms, bluetooth, entre tantas outras tecnologias disponíveis. É verdade, nenhuma delas é explorada amplamente ainda, de forma que talvez nenhum destes formatos esteja pronto para se popularizar de verdade.

Neste contexto, eu pessoalmente acredito que um tema ainda vai dar muito que fala. A utilização do mobile como plataforma abre espaço para você investir em formatos visuais (banners de vários formatos, vídeos, etc) ou em formatos de conteúdo (links patrocinados, histórias patrocinadas, etc). Qual será que é realmente mais eficiente?

Exemplo de Publicidade Mobile no Facebook, Google e Twitter

Na minha visão parece que, devido ao tamanho da tela de celulares e smartphones e de alguns tablets também, a utilização de qualquer formato que use o visual pode ser visualmente pequeno para o visitante e/ou ocupar um espaço muito importante da tela dele. Já a publicidade que se baseia em conteúdo trabalha com uma ideia muito mais forte de contexto. Nos links patrocinados, os links devem estar relacionados a sua busca; Nas histórias patrocinadas do Facebook ou “Promoted Content” do Twitter, você visualizara em sua tela apenas conteúdo de quem você já segue/interage.

Não é a toa que sites como o ::facebooktag(“fb”):: e ::twittertag(“twitter”):: demoraram muito para explorar a suas versões mobile com publicidade, mesmo tendo o acesso mobile crescido, chegando 40% e 30% respectivamente de suas bases de usuários. Ambos anunciaram agora em 2012, o Facebook promete apenas dar mais destaque a publicações já existentes e o Twitter quer oferecer conteúdo que foi esquecido na timeline e também quando o usuários faz buscas dentro do aplicativo.

E você, o que acha? Será que anúncios vinculados ao conteúdo podem realmente ser mais eficiente (e interessantes para o usuário) do que os formatos mais tradicionais como mídia visual e etc? Deixe a sua opinião nos comentários.

 

PUBLICADO POR

Dennis Altermann

Fundador-Editor aqui no blog Midiatismo, trabalhando com marketing digital na DuPont Pioneer do Brasil. Entusiasta e estudioso nas áreas de comunicação, cultura, comportamento e tecnologias digitais.

Novidades e atualizações, direto em seu e-mail