Os tablets são coisas do passado ou do futuro? Me explica melhor.

Desde o surgimento do iPad, no longínquo ano de 2010, vimos o mercado de computadores pessoais começar a sua queda. O mercado que chegou a 157 bilhões de desktops e 201 bilhões de laptops em todo mundo em 2010, vê o tamanho de seu mercado diminuir ano após ano. A maioria das pesquisas atribuem essa morte lenta a chegada dos tablets, mercado ressuscitado pelo iPad em 2010 e que hoje tem grandes concorrentes, como tablets com Android e aparelhos equipados com o Windows 8, da Microsoft.

venda-desktop-laptops-tablets-2010-2017

Confira mais dados desta pesquisa no Statista.

É importante salientar que, segundo o gráfico acima, os desktops e notebooks devem ter uma pequena queda nas vendas, cerca de 5-10% ao ano, segundo os dados acima, mas é importane lembrar que o mercado de computadores está em expansão, então apesar de os números estarem próximos, os “market share” destes segmentos diminuí em relação aos tablets.

Mas para Hubert Joly, CEO da Best Buy, talvez ainda não seja a hora de você aposentar o seu computador para se entregar aos tablets. Recentemente em uma entrevista ao Re/Code o CEO afirmou que as vendas de tablets estão diminuindo e os PCs voltando a vender melhor. Apesar de uma pesquisa recente da IDC ter mostrado que houve um aumento de 11% nas vendas de tablets durante o segundo trimestre do ano.

Para Dustin Curtis, talvez haja uma explicação de porque o mercado de tablets é uma incógnita. Usando dados da pesquisa “Tablet ownership 2013” feita pela Pew Research em 2013, ele analisa um pouco melhor o comportamento de uso dos tablets.

  • 33% na faixa etária dos 18 aos 24 anos
  • 37% na faixa etária dos 25 aos 34 anos
  • 49% na faixa etária dos 35 aos 44 anos
  • 38% na faixa etária dos 45 aos 54 anos
  • 28% na faixa etária dos 55 aos 64 anos

Ao que indica essa pesquisa, os tablets são muito mais populares nos públicos de maior idade, pelo menos é o que parece acontecer nos EUA.

Para Curtis, isto está ligado ao fato de que a penetração do uso primário dos smartphone para acesso a internet entre os jovens ser maior do que nos públicos de mais idade. Usando outra pesquisa da Pew Research, dessa vez sobre os hábitos dos jovens, curtis apontou que 55% dos jovens entre 14 e 22 anos tem o celular como principal ferramenta de acesso a internet, enquanto no público de 25 a 55 anos a penetração é de apenas 15%. Isto talvez explique que os jovens estão tão conectados aos seus smartphones, que não conseguem achar a necessidade de um tablet ou um notebook/desktop. Então, seguindo está linha da raciocinio, não são apenas os tablets que estão matando o mercado de PCs, mas os smartphones também.

Outro dado levantado é que a média de tamanho dos aparelhos estão convergindo. Em 2013 a média de tamanho dos tablets vendidos foi de 7.1 polegadas, bem menor que a média de 7.8 polegadas de 2012. Claro que a queda nas vendas do iPad (sim, iPad caiu 16% esse ano em relação ao ano passado) e a popularização de aparelhos como o Nexus 7 e iPad Mini ajudaram a diminuir essa média. Ao mesmo tempo, a média de polegadas dos smartphones também subiu, de 4.5 em 2012 para 4.9 em 2013. Não é a toa que o mercado de “phablets” (o meio termo entre smartphone e tablet) vem crescendo tanto.

Uma pesquisa recente da empresa Jana, analisada pelo blog Manual do usuário, mostrou que a intenção de compra dos brasileiros para o seu próximo smartphone é de aparelhos com telas grandes.

  • 12% pretendem comprar um smartphone de 4″
  • 8% pretendem comprar um smartphone de 4.3″
  • 17% pretendem comprar um smartphone de 4.5″
  • 18% pretendem comprar um smartphone de 5″
  • 17% pretendem comprar um smartphone de 5.5″
  • 26% pretendem comprar um smartphone de mais que 5.5″

Para método de comparação, o último iPhone (5S), tem uma tela de 4″.

intencao-compra-smartphone-mercado-emergente

Não há nenhuma pesquisa específica sobre o assunto, mas uma das especulações de porque os jovens preferem smartphones grandes ao invés de tablets seria primeiramente pelo preço, já que é melhor comprar um smartphone grande que faz praticamente tudo que o tablet fará, do que precisar ter um smartphone e um tablet. Uma das justificativas para o mercado de tablets ser tão forte nos públicos de maior idade, seria porque estes conseguem ver uma vantagem em relação ao desktop, pois não conseguem simplesmente substituir os seus computadores por smartphones, como os mais jovens.

Vendendo bem ou não, sabemos que o mercado de tablets é e continuara sendo uma surpresa para todos nos próximos anos. Os computadores continuam vendendo bem, apesar de suas altas e baixas, mas não há como negar a força dos smartphones nestes mercados.

Mais uma vez estou aqui defendendo os dispositivos móveis e lembrando que você precisa estar preparado para esta mudança de comportamento que já está acontencendo.

PUBLICADO POR

Dennis Altermann

Fundador-Editor aqui no blog Midiatismo, trabalhando com marketing digital na DuPont Pioneer do Brasil. Entusiasta e estudioso nas áreas de comunicação, cultura, comportamento e tecnologias digitais.

Novidades e atualizações, direto em seu e-mail