Vamos falar sobre as comunidades do Google+

Para quem não viu, o Google lançou recentemente as comunidades do Google+. Não viu? Veja aqui.

As comunidades do Google+ são como as antigas comunidades do Orkut, que ainda existem e muito usuários alegam que ainda não há alternativa que tenha conseguido substituir esta ferramenta do finado Orkut. Mesmo os grupos do Facebook, que são semelhantes, ainda deixam muito a desejar.

A ideia principal das comunidades é unir as pessoas com interesses em comum para ter discussões, conversas e compartilhamentos. Como o vídeo de apresentação da novidade diz, nem todos os seus amigos tem interesses em comum com você. Então porque não encontrar pessoas que tenham?

Estive usando um pouco as comunidades nos últimos tempos e tenho diversos pontos que achei interessantes e que acredito que mereçam atenção. As comunidades do Orkut eram interessantes e os grupos do Facebook são muito funcionais, mas acho que o Google+ realmente conseguiu se destacar. É uma pena que as comunidades tenham demorado tanto para chegar.

Suporte aos dispositivos móveis

Um dos grandes defeitos do Orkut foi nunca ter tido uma experiência mobile. Recentemente surgiram aplicativos e uma versão móvel do site, mas muito limitadas e deixando claro que era uma jogada apenas para não ficar completamente obsoleto.

O Facebook, por outro lado, sempre demonstrou interesse em investir na área de dispositivos moveis, pois sabia do tamanho deste mercado e o quanto ele cresceu (e vai crescer). Mas como já dizia, querer não é poder. O Facebook demorou para conseguir construir experiências realmente completas dentro dos dispositivos moveis. Poucos dias atrás eles lançaram o aplicativo reformulado para Android e foi apenas neste momento que o aplicativo começou a ficar usável. Não que não fosse antes, mas era pesado, lento e irritante.

O Google+, por outro lado, teve desde o começo uma experiência móvel promissora, já que a rede social surgiu em meio a revolução móvel que estamos vivendo. Assim que as comunidades foram lançadas, em poucos dias já vimos a função de comunidades chegar aos dispositivos móveis e possibilitar a interação através dos smartphones e tablets.

Das comunidades do Orkut, passando pelos grupos do Facebook e chegando as comunidades do Google+

Das comunidades do Orkut, passando pelos grupos do Facebook e chegando as comunidades do Google+

Organização das publicações

Uma das principais falhas (que também é um grande êxito do Orkut) é a forma como o conteúdo compartilhado e discutido dentro dos grupos é organizado. No Facebook, o grupo funciona semelhante ao perfil/página, com todas as publicações uma abaixo da outra, com a única diferença de que nos grupos, elas ficam ordenadas pelas modificadas recentemente. Muitos reclamam que discussões que não estão sendo utilizadas logo “desaparecem” no grupo.

Na época do Orkut era diferente. As comunidades do Orkut tinham o seu próprio “fórum”, semelhante aos fóruns online que eram comuns na época do surgimento da rede social. Apesar de não ser tão melhor organizado assim, a ferramenta do Orkut criava discussões separadas dentro de “tópicos” e no título destes as pessoas adicionavam manualmente a categoria em que aquela discussão pertencia. Por exemplo, em uma comunidade sobre redes sociais o nome de um tópico seria: “[Facebook] Vocês estão tendo problemas com a migração de perfil para fan page?”. A funcionalidade de busca, presente nos grupos do Facebook, Google+ e Orkut ajudam bastante, mas não são a melhor solução.

Para resolver isso, o Google+ introduziu junto nas suas comunidades a “categorização das discussões”. O administrador do grupo pode criar categorias que serão utilizadas pelos participantes. Você pode usar estas categorias para separar as discussões.

Pode melhorar?

Os espaços de discussão são um dos pontos mais fortes dentro da internet, desde as antigas salas de bate-papo no MirC, passando pelos fóruns – que existem até hoje – e chegando até as comunidades dentro das redes sociais. Estes espaços são fundamentais, mas precisam se adaptar aos novos meios, principalmente a área de dispositivos móveis e ao “fator correria”, ou seja, as pessoas nem sempre tem tempo de acompanhar todas as discussões, então a ferramenta que for mais eficiente será a vencedora.

Prefiro não levantar bandeiras para dizer quem é melhor. Sei que os Grupos do Facebook têm as suas vantagens, assim como as Comunidades do Google+ também tem. Devido a necessidade de atrair novos visitantes, acredito que o Google+ seja mais promissor, principalmente se as pessoas realmente aderirem a novidade.

PUBLICADO POR

Dennis Altermann

Fundador-Editor aqui no blog Midiatismo, trabalhando com marketing digital na DuPont Pioneer do Brasil. Entusiasta e estudioso nas áreas de comunicação, cultura, comportamento e tecnologias digitais.

Novidades e atualizações, direto em seu e-mail