Twitter está perdendo usuários no Brasil ou será que ele está amadurecendo?

Eu não posso considerar que sou um usuário realmente “old school” do Twitter, mas uso a ferramenta desde 2009. De lá para cá, percebi diversas mudanças na forma como as pessoas usam a ferramenta, como as pessoas chegam até ele e também como a mídia trata a ferramenta. São mudanças importantes.

Mas já faz alguns meses que ouço diversas pessoas comentando o quanto o Twitter está perdendo a relevância em nosso país. Uma notícia que saiu essa semana deixou a situação ainda mais complicada.

Segundo informações da ComScore que foram noticiadas no O Globo, o Twitter no Brasil passou de pouco menos de 13 milhões de acessos para quase 10 milhões de acessos. É uma queda de 24% em apenas 12 meses. Enquanto isso, nos EUA, ele passou de 33,7 para 40,2 milhões no mesmo período (+22%).

Esta notícia não deve ser muito interessante para a empresa que planeja abrir um escritório por aqui.

Apesar da pequena polêmica, Twitter avisou que não comenta dados de pesquisas de terceiros.

Temos que concordar que o Twitter não é a mídia mais popular do Brasil, afinal, está bem atrás do Facebook e até do Orkut (que tantos falam já estar morto). Então o que exatamente está acontecendo? Essa questão nos leva ao ótimo texto da Raquel Recuero, que você pode ver aqui.

Há uma mudança de valores, com o decréscimo de uns e o crescimento de outros que é naturalmente decorrente da apropriação. Mas não podemos falar em “perda de relevância geral” (relevância pra quem?). Há ganho de alguns públicos e perda de outros. Mas eu consideraria temerário não levar em conta o Twitter como plataforma de relacionamento de marcas e pensar que o Facebook vai substituí-lo. Ao menos, por enquanto.

raquel recuero

É uma questão bem interessante para pensarmos. Afinal, Twitter, Tumblr, Facebook e mesmo o Orkut… quantos anos eles tem? Ai está a questão. A maioria desses serviços é recente (ou fez sucesso recentemente). Sem contar que nos últimos 10 anos foi a época onde a internet e a força das mídias sociais mudou completamente. O uso – ou não – das ferramentas acaba dependendo de várias questões e contextos.

Este contexto mostra uma outra informação bem interessante. Uma matéria recente do Huffington Post mostrou como o Facebook está “perdendo espaço” nos EUA. Nesta matéria eles mostram como o Facebook deixou de ser um espaço comum aos jovens para se tornar apenas um substituto do email. O Facebook para jovens começa a tomar a mesma proporção que o email tem para pessoas mais velhas. E adivinha para onde esses usuários jovens e insatisfeitos estão indo? Twitter e Tumblr.

De um lado temos o Facebook trabalhando melhor o conteúdo multimídia e do outro temos o Twitter, trabalhando melhor a velocidade e interação. Sem contar o Tumblr, que é muito próximo de ambos, mas ao mesmo tempo diferente. É muito importante também perceber que não apenas os usuários estão mudando, mas os serviços também. Compare o Twitter ou Facebook de 5 anos atrás e o que temos hoje, você irá notar muitas diferenças importantes sobre como cada um lida com o conteúdo.

Any network that doesn’t figure out how to engage teens and keep them engaged is going to lose out in the next five to 10 years. Tradução: Qualquer rede que não descubra como engajar os jovens e mantê-los engajado vai perdê-los nos próximos 5 ou 10 anos.

Brian Solis, analista da Altimeter Group

E por que isso ainda não aconteceu com o Facebook?

É uma questão complicada, mas muito interessante. Enquanto nos EUA o Facebook faz um sucesso grande a alguns anos, estamos vendo o Facebook crescer no Brasil nos últimos 1 ou 2 anos. O Twitter, por outro lado, esteve em alta em 2009 e 2010. Lembrando que “estar em alta” não significa ter número de usuários, mas como ele é tratado pela mídia.

É possível que vejamos a migração em massa dos brasileiros do Facebook para outras mídias em breve. Não há como prever este mercado de redes sociais, mas olhando para o passado e para os outros países, podemos entender um pouco melhor o que podemos esperar em relação ao comportamento dos usuários destes serviços.

O Brasil está na contra mão do mundo?

Se levarmos em conta que aqui o Facebook é a maior rede social, assim como em outros países, não. Mas se levarmos em conta que o Brasil é um dos poucos países que viu o Twitter ter queda no número de usuários nos últimos meses, sim. Também não podemos nos esquecer do Orkut, que nunca fez sucesso em muitos países além do Brasil e Índia.

Estas discussões não explicam muitas coisas, mas nos ajudam a perceber o quanto a cultura e a mídia influênciam no comportamento das pessoas dentro de cada serviço. Sabemos que o brasileiro tende a usar as coisas de formas um pouco diferente do que se vê lá fora. É difícil explicar isto, mas é possível perceber que isso realmente acontece.

Será que somos mais individualistas? Será que brasileiros são narcistas? Será que brasileiros não gostam de ler e querem apenas ver imagens? Estas são apenas algumas das perguntas que vão ficar sem resposta durante bastante tempo.

Eu voto em um amadurecimento

Eu prefiro acreditar que o Twitter está apenas amadurecendo aqui no país. Enquanto o Facebook está muito mais ligado as suas conexões da vida real e as publicações de maior destaque dentro deste grupo, o Twitter se mostra importante para área de notícias e relacionamento direto.

Quando a mídia e as celebridades adotaram o Twitter alguns anos atrás, todo o programa de TV e toda celebridade tinha a sua presença garantida na ferramenta. Esta onda trouxe muita gente junto, gente que queria apenas falar com o Fiuk e mandar uma pergunta para o programa de TV, isso mudou bastante.

Hoje a rede social parece estar com um uso bem diferente do que tínhamos a 3-4 anos atrás, mesmo sendo basicamente a mesma ferramenta.

PUBLICADO POR

Dennis Altermann

Fundador-Editor aqui no blog Midiatismo, trabalhando com marketing digital na DuPont Pioneer do Brasil. Entusiasta e estudioso nas áreas de comunicação, cultura, comportamento e tecnologias digitais.

Novidades e atualizações, direto em seu e-mail