Rede social, para escolha profissional? Parte 1

Muito tem se falado que as empresas passaram a observar o perfil de um futuro colaborador, através das redes sócias, mas até que ponto isto pode ser interessante. Algum tempo atrás ouvi comentários a respeito, onde diziam que as empresas tem confundido rede social, com vida profissional, pois através de redes como Twitter e Facebook, muitas vezes publicamos informações que achamos relevantes aos nossos seguidores/amigos, ou simplesmente por acharmos que tal informação pode ser útil a alguém, propagando assim esta informação.

LinkedIn – Muitos já conhecem esta “Rede Social” (considero uma Rede Profissional), esta tal rede social sim pode ser utilizada para avaliar um candidato a uma vaga de emprego, é uma rede voltada muito mais para o lado profissional do individuo do que as outras redes sociais, e muitas empresas principalmente de TI já tem adotado como padrão analisar o perfil dos candidatos através do LinkedIn.


Através desta rede é possível ter acesso a muitas informações importantes a cerca do candidato, tais como, Escolaridade, onde estudou, se está estudando, onde trabalhou, quais certificações e qualificações possui, e também o conteúdo que propaga através desta rede, desta forma julgo que tais informações são relevantes e os conteúdos aqui transmitidos tem um foco diferente, ou seja, nesta rede as pessoas costumam utilizar de uma forma mais “cautelosa”, com o intuito muito mais profissional do que realmente social, desta forma acredito que as empresas tem acertado em utilizar o LinkedIn como fonte de informação sobre algum candidato.

Como dito anteriormente as empresas devem saber diferenciar as redes sociais das redes profissionais, ou seja, as redes sociais possuem o intuito de realizar a comunicação com amigos e familiares, já as redes profissionais, que neste caso julgo como sendo o LinkedIn, ele teria informações realmente relevantes, vale ressaltar que através do LinkedIn assim como qualquer currículo não é possível saber a verdadeira capacidade de algum candidato, mas é possível se ter uma ideia de seus gostos, focos, e aspirações, desta forma torna-se mais fácil a observação do candidato, e em uma entrevista as empresas poderiam avaliar outros lados do profissional, como o lado interpessoal do mesmo, lado psicológico, comunicação, entre outros itens que devem ser levados em consideração.

Julgo que este tema está apenas engatinhando no mercado de trabalho principalmente no Brasil, mais ele ainda pode crescer muito e ganhar muitos adeptos a esta nova forma de se fazer um currículo, e se analisar um novo candidato, caso você ainda não possua seu “currículo on-line”, basta acessar o próprio site do ::aqui(“http://www.linkedin.com”,”LinkedIn”):: e criar seu perfil, mantenha seu perfil sempre atualizado, ele tem crescido em proporção “assombrosa” no Brasil, e muitas empresas de TI tem optado pela sua melhor utilização no contexto contratação, fique atento através desta ferramenta você pode ser chamado para trabalhar, ou criar novos laços de contato com pessoas focadas no profissionalismo.

Sinta-se a vontade para acrescentar sua opinião.

Abraço e até a próxima.

PUBLICADO POR

Thiago Batista

Estudante de Gestão de Tecnologia da Informação através da Unisul virtual de SC. Trabalha na WRA Gestão em TI de Maringá. Amante de Tecnologia e um Eterno Aprendiz.

Novidades e atualizações, direto em seu e-mail