O caso Nissan, estratégia ou pura inocência?


Este é um texto enviado por um leitor, não necessariamente reflete a opinião do blog.
Para ver o seu texto aqui também, acesse colabore.

A montadora japonesa vem produzindo comerciais que vão de encontro às regras impostas pelo Conselho de Autorregulamentação Publicitária (CONAR). Na maioria dos casos, se não todos, os concorrentes são cutucados e provocados, além de terem sua marca exibida em alguns vídeos, onde são alvos de chacota.

Não podemos afirmar que uma empresa lançaria comerciais desse tipo por pura inocência, acreditando, realmente, que não sofreria nenhum tipo de censura. Isso tudo faz parte de uma estratégia para que a ação se viralize a ponto de se tornar impossível apagar todos os resquícios. Sem falar na mídia espontânea, com blogs e sites comentando sobre a ação, como é o caso desse artigo. Confiram algumas repercussões aqui, aqui e aqui.

Faz parte da estratégia a Nissan ter lançado o filme em uma sexta-feira (25/02). Dessa forma ele permaneceria no ar por pelo menos 3 dias, até que os “detetives” do CONAR voltem ao trabalho na segunda-feira e comecem a mexer seus pauzinhos.

Você consegue tirar xixi de dentro de uma piscina sem que a água toda seja retirada? Impossível. Neste caso, o xixi é o vídeo da Nissan e a piscina é a internet. Fenômenos como este foram batizados de efeito Streisand devido a um episódio ocorrido com Barbra Streisand, onde a cantora exigiu que o fotógrafo retirasse da internet a foto que exibia uma vista aérea de sua residência. No entanto aquela imagem fazia parte de sequência de tomadas que o inocente profissional havia feito da costa Californiana. Ele não era um paparazzi.  A repercussão do caso resultou em uma enxurrada de fotos espalhadas pela internet, permitindo serem encontradas por uma simples busca no Google.

Não é de hoje que o proibido é mais gostoso, a censura estimula a transgressão. Não podemos colocar toda a culpa na internet, muito menos nas mídias sociais. É verdade que elas são os fios condutores, potencializando o poder de viralização, mas seria injusto tomá-las como mártires. O problema vem do ser humano sedento por tudo que não é permitido.

Para casos como o da Nissan, é difícil dizer até que ponto isso é positivo para a marca, uma vez que o povo brasileiro em geral é avesso a propagandas ofensivas, comparativas e, principalmente, àquelas que tentam explicitamente denegrir a imagem da concorrência. Sem falar a ação promocional “Quero meu Carrão”, que foi, no mínimo, atrapalhada e gerou muitos comentários negativos nas mídias sociais.

Não estou aqui para defender os órgãos reguladores ou as empresas. A liberdade na propaganda possui prós e contras, porém isso é assunto para uma longa discussão ou outro post. O fato é que enquanto o CONAR não aplicar penas severas, práticas como essas se tornarão armas para aqueles que não se contentam em apresentar os benefícios de seu produto e insistem na tentativa de menosprezar o adversário.

Enquanto isso, vamos assistindo o efeito Streisand e o xixi se espalhar pela piscina da grande rede. Vejam alguns dos comerciais abaixo.

Rappers
Paródia de um clipe de rap onde a Nissan diz que a Ford está ficando rica às custas dos clientes, além de tentar convencer o consumidor de que ele está pagando o preço de um carro 1.8 por um carro 1.6.
]xhtHMDAEir8]

Não compre o Fiat Idea
Mais uma vez utilizando a estratégia “não compre gato por lebre”, dizendo para não comprar o Fiat Idea, pois este seria em torno de 5 mil reais mais caro, porém com os mesmos equipamentos.
]PTW8onHXrOc]

Agroboys
Neste filme eles dizem que as concorrentes Amarok (da Volkswagem) e Hilux (da Toyota) não são pick-ups de verdade, daquelas que aguentam lama e estradas de chão. No início do comercial aparece a frase “Nissan Frontier dedica esta música aos sensíveis concorrentes.”.
]tPZwVa-NIaY]

Tiro ao alvo nas piscinas mortais
Este é clássico. Mostra supostos engenheiros da GM, Honda e Fiat enfurecidos com seus funcionários por não terem levado alguns prêmios que o Nissan Livina teria faturado. Pra piorar, ainda fizeram um vídeo com pedido de desculpas, que vem logo abaixo.
]fO8_hZ5D2DQ]

Pedido de Desculpas
Tiraram o vídeo anterior do ar (somente da TV). No canal da Nissan no YouTube tem aos montes… Olha a estratégia aí gente! Com um final irônico, revelam que as desculpas eram por terem feito um carro melhor.
]CpDwT0PjqQ8]

Referências:
Li, C.; Bernoff, J., “Fenômenos Sociais nos Negócios – Groundswell” – Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.
Masnick, M. “Since When Is It Ilegal To Just Mention A Trademark online?”, 5 de janeiro de 2005.
Robertson, G. “HD-DVD key fiasco is an exemple of 21st century digital revolt”, 1º de maio de 2007.
Blog Insoonia: “Novo comercial da Nissan”.
Blog Brainstorm9: “Nissan provoca Ford com clipe de rap”.
Blog Erros de Marketing: “Nissan bombardeia Ford. Precisava?”.

PUBLICADO POR

Diego Brugiolo

Formado em Informática e Pós-graduando em Marketing. Apaixonou-se pelo assunto Mídias Sociais e tem se especializado na área.

Novidades e atualizações, direto em seu e-mail