Buscapé vs Google Shopping ganha mais um capítulo. Justiça brasileira vota a favor do Google.

Para quem não sabe, ano passado o Google lançou o “Google Shopping“, um serviço de comparação de preços altamente integrada ao buscador da empresa. No final de 2011 esse serviço chegou ao Brasil, abrindo novas possibilidades para as lojas brasileiras de comércio eletrônico.

Mas nem todo mundo ficou contente com a chegada desta nova ferramenta. Obviamente que este tipo de serviço já tinha representantes brasileiro em atuação como o Buscapé, Bondfaro (comprado pelo Buscapé), Zoom e outros semelhantes. O mercado já tinha seus players e seus líderes de mercado, de repente chega o Google e muda este mercado. Muita gente ficou ofendida.

Google. Don’t Be Evil. A emblemática frase da própria empresa.

O Buscapé, que está por traz do Bondfaro também, resolveu entrar na justiça brasileira alegando que o Google está se aproveitando da sua posição. Fora do Brasil este tipo de processo é comum, chamado de “antitruste” e já foi usado contra o Internet Explorer no Windows (na Europa, a pessoa deve ter a opção de escolher o navegador). No Brasil nós temos o equivalente, conhecido pelo nome de “Lei de Direito a Concorrência”.

Esta semana saiu o resultado do processo e a justiça brasileira deu ponto para o Google, afirmando que a empresa é escolhida pelas pessoas e portanto, elas não são obrigadas a utilizar os serviços oferecidos por eles. Portanto, não se consolida como monopólio, mas sim como liderança de mercado.

Apesar de o processo ocorrer sob sigilo da justiça, o Buscapé já deixou claro que pretende recorrer, já que este processo é apenas o de primeira instância.

E você, concorda com a decisão da justiça brasileira?

PUBLICADO POR

Dennis Altermann

Fundador-Editor aqui no blog Midiatismo, trabalhando com marketing digital na DuPont Pioneer do Brasil. Entusiasta e estudioso nas áreas de comunicação, cultura, comportamento e tecnologias digitais.

Novidades e atualizações, direto em seu e-mail