Arezzo lucra com fail no Twitter. Será que estamos errados?

Sempre tentamos defender que o mais importante é prestar um bom serviço ou oferecer um bom produto, é o mínimo que uma empresa deve fazer – e mais provavelmente mais importante que uma boa campanha de marketing. Se o serviço ou produto forem ruins, nós (profissionais de marketing, publicidade, etc) vamos estar apenas fazendo papel de advogado do diabo – e isto ninguém quer ser.

Com as mídias sociais chegando a todos cantos e o consumidor se tornando mais ativo através delas e com isso pensei que as empresas ruins fossem cair por terra. Mas infelizmente parece que nem sempre é isso que acontece, é uma pena.

Linha que causou toda discórdia.

O case da Arezzo é um dos mais recente cases de fail nas mídias sociais, estava sendo usado como exemplo do que não fazer. Mas esta semana uma notícia fez meu queixo cair, quase literalmente.

A empresa teria anunciado que mesmo com todo aquele fail, menções negativas no Twitter e vídeos falando mal da atitude da marca, ela teve aumento de mais de 40% em seu lucro e viu seu número de fans no Facebook duplicar em poucos meses.

Será que tudo aquilo não afetou em nada? Ou pior, será que colocar o nome da empresa nos Trending Topics, associado a adjetivos ruins, não apenas ajudou ela?

Eu prefiro pensar que não. Prefiro acreditar que os números poderiam ter sido maiores, mas será mesmo? Essa notícia realmente me fez pensar. Será que o branding é mais fraco que o produto?

Quero saber o que vocês acham desta constatação. Deixe sua opinião nos comentários.

PUBLICADO POR

Dennis Altermann

Fundador-Editor aqui no blog Midiatismo, trabalhando com marketing digital na DuPont Pioneer do Brasil. Entusiasta e estudioso nas áreas de comunicação, cultura, comportamento e tecnologias digitais.

Novidades e atualizações, direto em seu e-mail