A lei da selva 2.0: qual é a sua arroba?

Talvez em 2006 você nunca tenha ouvido falar em mídias sociais, ou social media. Dificilmente não ouviu falar em uma hoje. Em três anos, o mundo evoluiu muito mais do que nos últimos 300: falamos em tempo real com amigos no Japão – de graça!! – consultamos o mapa daquela viagem, com o transporte coletivo a ser usado para chegar lá, pagamos contas sem levantar da cama, compramos comida pela internet e até o(s) seu(s) próximo(s) emprego(s) podem estar a um clique. Com a difusão da informática e da internet, quem hoje não tem um perfil no Orkut? Ou ainda que não tenha repassado um e-mail com aquelas correntes que supostamente dariam alguns centavos a alguma criança malaia com disfunção cardíaca congênita psicológica? Atire o primeiro emoticon quem nunca entrou no MSN!

Pois é, a lei da selva chegou aos mouses sem fio e monitores de LED de nossas casas. Ou lan houses. O crescimento exponencial dos estabelecimentos que alugam computadores em troca de quantias módicas assusta, não só pela voracidade em que acontece, mas pela quantidade de serviços oferecidos. Você com certeza conhece mais lan houses do que hospitais, escolas, museus… E nesses tempos em que o consumidor está em qualquer lugar – a qualquer hora, procurando seus produtos e ideias – ignorar as reclamações dele é quase como dizer: “vai e compra no meu concorrente ali da esquina”.

Não dá mais pra “escolher” ficar de fora das mídias sociais. Entre agências de sapos, leões e abelhas, algumas se especializaram no chamado marketing de guerrilha, tão agressivo e invasivo quanto o próprio nome diz. Hoje em dia, uma das frases que mais se ouve entre os aficionados por redes sociais é “qual é a sua arroba?” A explicação é simples: os usuários do Twitter são identificados pelo apelido precedido do sinal gráfico. Ou seja: você pode ser simplesmente @fulanodetal. Ou, se tiver um tempinho disponível, pode bancar @OCriador e brincar um pouco de ser Deus. A MTV americana não se contentou em só entrar nas redes sociais: fez um reality show para escolher sua primeira “Twitter Jockey”. A vencedora foi a blogueira Gabi Gregg, de 23 anos, e é a responsável por interagir com os seguidores da emissora e revelar novidades e bastidores dos programas.

Algumas marcas estão perdendo mercado por ignorarem as redes sociais ou mesmo por uso inadequado delas. Por outro lado, a americana Dell faturou entre 2007 e 2009 mais de US$ 6,5 milhões (cerca de R$ 11,5 milhões) só com o Twitter. Tudo bem, o que são 3 milhões de dólares por ano para a gigante dos computadores? Pouco. Mas a sua empresa pode faturar ótimas quantias estabelecendo as estratégias certas de cativar um consumidor cada vez mais exigente. Basta um fio de cabelo mal penteado no seu comercial para que 2 mil geeks digam que a sua empresa deu um “#fail”, ou que mandem um “CALA BOCA” em letras garrafais. Aquela cena que você fez na porta da casa do seu ex-namorado, ou o barraco que você armou com uma conhecida, eles podem estar entre os vídeos mais acessados no mundo em poucas horas. E aí? Como você interage com o seu cliente? Será que o valoriza da forma certa?

PUBLICADO POR

Vinícius Sacramento

Pós-graduado em Comunicação Social, é jornalista, social media, palestrante e podcaster. Foi editor-chefe do site Voz do Apito, apresentou o documentário “Minha tribo sou eu”. É co-autor do blog Nerdeliciouss.com.

Leia mais sobre
, ,
Novidades e atualizações, direto em seu e-mail