A Influência do Gênero nas Redes Sociais

As redes sociais digitais foram feitas para estarem acima de qualquer gênero. Ao menos, essa foi a princípio a tentativa de se construir um ambiente que não fosse segmentado. Com o passar do tempo e a proliferação de diversos sites, a estratégia mercadológica ao mesmo tempo em que ampliou as possibilidades de negócio, também separou as diversas necessidades que cada um tem.

Mas nem por isso, por mais segmentada que as redes sejam elas não seriam democráticas. Ao contrário, a capacidade que essas redes sociais têm de crescimento é o que torna possível esse ambiente democrático favorável à presença de todos, sem limitações. Mas, neste texto, vou pôr atenção especial a três redes sociais e de que forma suas estratégias às segmentaram por gênero. Falo aqui do Google+, Tumblr e do Pinterest.

Google+

Menos de um ano depois e do fracasso de se fazer uma rede social com o Buzz, o Google “aparentemente” parece ter acertado o caminho ao desenvolver o projeto Google+. Remodelando todo o layout de seu site para que até mesmo os serviços de busca e de outros serviços pudessem ser facilmente identificados, a estratégia do Google em buscar uma identidade única em seus mais variados serviços parece estar levando a empresa a garantir um seu lugar no disputadíssimo mercado de redes sociais em escala meteórica.

O Google+ possui em sua maioria homens

Em se tratando do Google+, a pergunta que nos fazemos é: Por que o número de homens é muito superior ao de mulheres? Alguns analistas acreditam que a razão para isso é que o Google+ possui uma funcionalidade que atrai o sexo masculino. Não há um design que atraia o olhar para outras coisas, por exemplo, a possibilidade de editar o layout da forma que se quer.

Na verdade, acho eu, o Google+ se constitui até o momento, como uma rede social voltada para o sexo masculino pela forma como ele se posiciona – os círculos voltados para amizade, trabalho, família, etc. A disposição de vídeos e a inclusão de gadgets (sem que esse comentário tenha a pretensão de ser machista ou algo do tipo) parece, até o momento, atrair boa parte dos homens.

Pinterest e Tumblr

A rede social que vem chamando a atenção do mundo nada mais é do que uma espécie de Tumblr melhorado ou um Reddit com novas funções. Aos que acham que ela é uma surpresa. Saibam que ela já existe desde 2010, mas passou a chamar atenção pelo tráfego gerado para sites de compras.

O Pinterest e o Tumblr concentram mais o público feminino

O Pinterest até o momento possui entre os seus integrantes, quase 60% pertencentes ao público feminino. Familiaridades a parte, o perfil de participantes do Tumblr em sua maioria também é do sexo feminino, no Brasil o crescimento tanto do Tumblr e do Pinterest mostra que quem está alavancando o sucesso são elas, através de assuntos comuns em ambas as redes.

Também, não que meu comentário tenha a proposta de ser feminista, mas a possibilidade de edição de layout, a resposta rápida e a facilidade em concentrar temas e assuntos de diversos interesses, fazem com que o Tumblr (através dos temas) e do Pinterest (através dos Pins e da imensa quantidade de marcas e assuntos) chamam por vezes a atenção do sexo feminino muito mais do que do masculino.

É claro, percebam que o fato de estas redes agregarem em sua maioria sexos masculino ou feminino, não às tornam reducionistas, muito pelo contrário, é a variedade de serviços que cada uma delas oferece que possibilita a nossa escolha. Não quer dizer que elas permanecerão tendo mais homens ou mulheres, mas mostram como é possível moldá-las estrategicamente a fim de chamar atenção de cada um dos gêneros.

 

PUBLICADO POR

Rafael Gomes

Jornalista, Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Sergipe e estudante de Direito pela Unit.. é Pesquisador na área de Redes Sociais, Mídia Sonora e Novas Tecnologias, colaborador do site da United Press International University (UPIU) e do Midiatismo, Possui um Blog específico na área de Rádio e Novas Tecnologias.

Novidades e atualizações, direto em seu e-mail