Você está preparado para a socialização?

Há quem despreze a teoria, considerando que ela toma um tempo precioso do profissional que poderia ser utilizado para a prática com os seus erros, acertos e aprendizagem proporcionada. Porém, quanto mais tenho contato com teóricos, percebo que por serem embasados pela teoria têm uma visão muito mais ampla da realidade compreendendo de forma magnífica o modo como a “máquina” e suas engrenagens funcionam e como melhor explorá-las.

Quando se fala em ações que visam à reação de pessoas, essa questão se torna ainda mais evidente. O estudo do comportamento humano, da formação da sua opinião, das suas interações sociais, por exemplo, foram demasiadamente exploradas desde a Antigüidade. De lá pra cá, formaram-se muitas vertentes de pensamentos e teorias foram aprofundadas e muitos conceitos caíram por terra.

 

Assim, de posse desses dados, o profissional que pretende intervir ou participar socialmente de um grupo a fim de compreender e atender as suas necessidades, certamente terá mais condições do que aquele que trabalhará com a técnica de erro e acerto. Principalmente porque a tendência é que as pessoas afetadas não dêem uma “segunda chance” para retratações. Esta postura está prevista em estudos e, diga-se de passagem, custará “simplesmente” a reputação daquilo que esse profissional estiver representando, seja ele próprio ou a empresa para quem trabalha.

Trazendo essa discussão para o meio virtual e, principalmente, a inserção das organizações nas redes sociais, percebo cada vez mais o diferencial que noções teóricas podem oferecer. O fato é que as redes sociais sempre existiram, a novidade consiste na socialização por meio da tecnologia, mediada pelo computador e pela Internet. Ora! Pensando por essa lógica, não será possível descartar todo conhecimento construído ao longo do tempo em conseqüência de um novo meio de se socializar.

O que quero dizer é que dominar ferramentas e compreender a dinâmica prática das redes sociais não fará de um profissional, por si só, capaz de planejar ações que sensibilize pessoas, muito menos de estabelecer níveis ideais e favoráveis de relacionamento entre pessoas e uma organização. Entendo que é preciso bagagem teórica para desenvolver um bom trabalho em nível estratégico. Especialmente nas áreas em desenvolvimento como é o caso das mídias sociais.

E aí, você está preparado para a socialização?

PUBLICADO POR

Daniela Mattos

Estudante de Relações Públicas – UFRGS Atua como voluntária no Marketing Digital do Projeto Animais Respeito (@animaisrespeito) e acompanha interessadamente as mudanças provocadas pelas interações mediadas por computador.

Novidades e atualizações, direto em seu e-mail