Vamos ser substituídos por robôs? Provavelmente sim, mas calma. #cpbr9

Em meio a um evento que tem como slogan “sinta o futuro”, ter medo de perder o emprego para um robô é algo completamente normal. Aqui vemos palestras de grandes projetos que mudaram o meio em que surgiram, ao mesmo tempo em que vemos centenas de pessoas construindo máquinas que podem daqui a pouco roubar o seu emprego.

Daniel Susskind subiu ao Palco Feel The Future, o palco central da #cpbr9, a Campus Party Brasil 2016, para falar do assunto que abordou em seu livro “The Future of the Professions” (O Futuro das Profissões), ainda sem tradução para o Brasil. O tema do livro está diretamente relacionado com o slogan do evento, sinta o futuro, assim como com o contexto central, a tecnologia. A tecnologia vai acabar com os nossos empregos?

o-futuro-das-profissoes-cpbr9

Para o palestrante, existem dois caminhos óbvios.

  1. A tecnologia não ira substituir os nossos empregos, mas sim auxiliar as profissões a exercerem de forma melhor o que fazem.
  2. A tecnologia vai substituir quase por completo os nossos trabalhos, nos tornando obsoletos de todas as formas.

A escolha não está exatamente em nossas mãos, mas devemos discutir o que queremos.

O conhecimento está cada vez mais acessível e a internet é a prova viva disso, um local onde podemos aprender praticamente qualquer coisa apenas pesquisando no Google ou usando serviços gratuitos como o Khan Academy, mas Daniel lembra que como seres humanos, nosso conhecimento é limitado e é justamente por isso que precisamos de profissões em nossa sociedade. Se não podemos saber de tudo, precisamos confiar nas pessoas que entendem mais de cada área, como médicos, advogados, engenheiros, arquitetos, etc.

Citando exemplos como o Deep Blue, computador que venceu o campeão mundial de xadrez em 1997, e o Watson, que venceu o programa Jeopardy em 2011, Daniel mostra que na verdade não estamos criando máquinas inteligente, mas sim máquinas muito inteligente naquilo que elas foram destinadas a fazer. A inteligência artificial é algo impressionante, de fato, mas ainda está muito longe de simular o pensamento humano.

Pense nos últimos 30 dias quantas vezes você fez a mesma tarefa? Se a resposta for “muitas vezes”, tenho um péssima notícia para você.

daniel-susskind-cpbr-cpbr9

O autor do livro argumenta que talvez a tecnologia não traga o fim das profissões, mas sim o fim de tarefas. Um profissional não é resumido apenas a tarefas, mas um conjunto de tarefas e análise destas tarefas. A tecnologia e os robôs já estão e vão continuar a substituir várias vagas de empregos, isso é inegável porque está acontecendo, mas talvez seja presunção demais acreditar que todos os empregos vão sumir por conta da tecnologia.

Enquanto controlarmos as máquinas, estamos seguros.

PUBLICADO POR

Dennis Altermann

Fundador-Editor aqui no blog Midiatismo, trabalhando com marketing digital na DuPont Pioneer do Brasil. Entusiasta e estudioso nas áreas de comunicação, cultura, comportamento e tecnologias digitais.

Novidades e atualizações, direto em seu e-mail