Inveja e aparência nas redes sociais

e-muita-inveja-tudo-isso

Alguns dias atrás eu vi mais um vídeo do Nerdologia (que falando nisso, é uma das melhores séries de vídeos do Youtube atualmente) e me deparei com o assunto “Inveja nas mídias sociais“. O assunto é recorrente e não é nenhuma grande novidade, justamente porque a “felicidade” que as pessoas fazem questão de mostrar no Facebook nem sempre reflete a realidade daquela pessoa e este assunto tem sido tratado por diversas pesquisas e estudos.

A necessidade de sermos notados como pessoas felizes no Facebook” inclusive já foi tema de uma pequena reflexão que o colaborador Thiago Batista fez aqui, lá em 2012.

Sempre que leio sobre este tema vejo reportagens com sociólogos, psicólogos entre outros, e muitos deles dizem que sim, parecer feliz é uma necessidade humana independente das redes sociais, porém nas redes sociais somos nós quem escolhemos o que queremos publicar e nas redes sociais publicamos momentos específicos de nossas vidas, por este motivo as pessoas tem utilizado esta “mascara da felicidade” para transparecerem estar felizes 100% do tempo.Thiago Batista

Para começar o assunto, vale a pena assistir ao episódio #43 do Nerdologia sobre o assunto:

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=6SFmY-vTpWQ /]

Durante este episódios aparecem várias cenas do curta “What’s on your mind?“, que pode ser traduzido como “O que está passando na sua cabeça?“, escrito e dirigido por Shaun Higton. O curta conta a vida de uma pessoa que tenta mostrar no Facebook algo que não reflete exatamente a realidade e por isso que é tão interessante, porque acaba mostrando um pouco de cada um de nós – não necessariamente na mesma intencidade, mas semelhante. (O vídeo também está disponível no Vimeo.)

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=QxVZYiJKl1Y /]

Diversas pesquisas já mostraram resultados semelhantes, principalmente as focadas no Facebook. Em 2013 uma pesquisa feita pela Universidade de Michigan monitorou 82 pessoas por duas semanas. 5 vezes por dia os usuários recebiam um SMS onde deviam responder como estavam se sentindo e o quanto tinham usado o Facebook. Apesar de ser um pequeno grupo de pessoas, a pesquisa mostrou o que todos já esperavam. Quanto mais usavam o Facebook, maior era o grau de tristeza das pessoas.

Superficialmente, o Facebook oferece uma fonte inestimável para saciar certas necessidades ao permitir que as pessoas se conectem instantaneamente. Mas, em vez de melhorar o bem-estar, como ocorre nas interações offline, as descobertas demonstram que interagir com o Facebook pode causar o oposto em jovens adultos.

Em qualquer rede social existe os dois extremos, aqueles que postam absolutamente tudo o que fazem (“oversharing“) e também é muito comum aqueles que postam pouco, mas geralmente postam apenas marcos relevantes para a sua vida. No segundo caso, que é muito mais comum do que imaginamos, se cria a ideia de que aquela pessoa vive uma vida perfeita, apenas com as coisas boas da vida. Como o Átila explicou no vídeo do Nerdologia, é mais fácil vermos apenas o lado bom das coisas e não refletir sobre o que está por trás daquilo.

Já ouviu falar do “Rich Kids of Instagram“? É um Tumblr que reúne as fotos mais “ostentação” do Instagram, basicamente fotos de filhos de milhonários e bilhonários espalhados pelo mundo. Lembra do “Rei do Camarote“? Na época o assunto de “ostentação nas redes sociais” rendeu muitas discussões.

O Instagram é considerado por muitos como uma das piores redes sociais para este sentimento de “a vida dos outros é perfeita”. No artigo de Jessica Winter, no Slate, ela lembra que o Instagram tende a ser ainda pior que o Facebook justamente por serem apenas fotos, consumidas rapidamente, enquanto no Facebook você vê comentários, piadas, pensamentos e não apenas imagens da “vida perfeita” de seus amigos.

Se você ver belas fotos do seu amigo no Instagram, uma maneira de compensar é a autopromoção com as melhores fotos e, em seguida, o seu amigo vê as suas fotos e posta fotos melhores ainda, e assim por diante.Jessica Winter

Como um colega meu sempre dizia “Foto de Salmão todo mundo posta, mas foto do arroz com ovo que comeu ontem meio dia ninguém posta“.

Da próxima vez que você ver alguma foto da grande conquista da vida de alguém que você segue, lembre-se que atraás daquela conquista provavelmente há um esforço, há problemas que você não sabe ou desafios que você não conhece.

PUBLICADO POR

Dennis Altermann

Fundador-Editor aqui no blog Midiatismo, trabalhando com marketing digital na DuPont Pioneer do Brasil. Entusiasta e estudioso nas áreas de comunicação, cultura, comportamento e tecnologias digitais.

Novidades e atualizações, direto em seu e-mail