Festival Mundial de Publicidade, histórias de sucesso

Mais um Festival Mundial de Publicidade foi realizado em Gramado, entre os dias 10 e 12 de junho e este ano o tema escolhido foi: “Ou você muda. Ou mudam você.” Aprendi muito e escrevo aqui para compartilhar um pouco da minha experiência lá com vocês.

No primeiro dia a abertura contou com uma palestra emocionante de João Dória Junior, mas foi no segundo dia de evento que se iniciaram os painéis. O primeiro, intitulado “Histórias de Sucesso”, reuniu três grandes nomes. Um deles foi Gianfranco Beting, Diretor de Comunicação e Marca da Azul Linhas Aéreas. Diante da fala dele, pode-se observar que a empresa possui um foco muito claro nas pessoas: dos colaboradores (chamados de tripulantes) aos clientes. Um dos conceitos utilizados, difícil de ser copiado pela concorrência, é o OPA: Observe, Perceba e Atenda. Este ensinamento é transmitido a toda a equipe, que deve entender que as pessoas vêm em primeiro lugar. Segundo ele, sempre vai existir a insatisfação, mas é preciso torcer por esse erro, afinal, é só assim que você pode mudar o que está errado nos processos da empresa ou impressionar o seu cliente. Como exemplo, Gianfranco citou o atraso de um avião para Minas Gerais durante a Copa do Mundo, sendo que todas as pessoas do voo tinham ingressos para ver o jogo daquele dia. A medida tomada por um dos gerentes da Azul Linhas Aéreas foi alugar um ônibus que buscou todos no próprio aeroporto e rapidamente os deixou no estádio, sendo que as malas foram organizadas para a posterior entrega aos passageiros. Eu adoro e admiro muito esse tipo de iniciativa, principalmente em momentos de crise de imagem.

Avião-1920x960

João Bell, Diretor de Web e Mídias Sociais da Vivo, abordou a forma como o conteúdo publicado na Internet gera engajamento com os clientes e o quanto, para ser relevante, esse conteúdo precisa ser diferente e criativo. Ele costuma pensar sob 3 pilares: entretenimento (principalmente com vídeo e música para transformar o cliente em fã), educação (o famoso “how to” para resolver os problema do seu público) e a utilidade. Para João, a marca deve vender uma essência, uma causa, sua razão de ser, através do conteúdo, mas sem que esse cresça e apareça mais do que a própria empresa. É preciso criar experiência de marca através do branded content, com temas e personagens relevantes nas redes, lembrando sempre que apostar no digital é apostar no risco, mas também, no novo.

Abaixo um esquema de como o João Bell define os diferentes tipos de conteúdos.

joao bell copy

Mas para ele, além de criar o material, é preciso pensar e planejar todo o lançamento e distribuição. Na Vivo, por exemplo, já foram veiculados os vídeos Eduardo e Mônica e Metamorfose Ambulante (que recebeu um prêmio do YouTube). Cada um levou cerca de 7 meses para ir ao ar e foram feitos em parceria com a agência Africa. Durante o painel ele revelou que no próximo dia (12), Dia dos Namorados, seria lançado um novo vídeo, que se confirmou com a divulgação de Exagerado.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=h8LAwijeYh8 /]

Por fim, Fábio Bernardi, Presidente da ARP e sócio da agência Morya do Grupo abc, trouxe os principais termos do Mundo 2.0: comunidade, conteúdo, personalização, simplicidade, consumidor no centro, criatividade, relevância e “interessância”. Segundo ele, para encarar tudo isso, as marcas precisam ser verdadeiras e ter pontos de vista bem estabelecidos. E os publicitários, por sua vez, precisam ler muito, ter networking, viajar com os olhos e a imaginação o tempo todo, perceber que quantidade faz qualidade, que essa profissão é feita para espetáculos e não pequenas funções e o principal: precisam gostar de gente. Desde os tempos antigos gostar e entender de gente é imprescindível. Aristóteles já dizia: “o juízo de valor das pessoas muda conforme a emoção que sentem”, ou seja, a sedução e a criatividade não são linhas retas, as pessoas não são simples e por isso os profissionais dessa área precisam treinar suas mentalidades, afirmou Fábio. Para finalizar, ele citou uma metáfora ensinada a ele por Nizan Guanaes: um sonho não pode ser uma bola de meia, que assim que passa por cima do muro, você acaba deixando no terreno do vizinho ou com os cachorros. Não, um sonho é uma bola nova, linda, pela qual você vai lutar.

Mais sobre 20º Festival Mundial de Publicidade de Gramado, em breve.

PUBLICADO POR

Anna Laura Neumann

Publicitária e Social Media, apaixonada por tudo o que envolve Comunicação, pessoas e relacionamento.

Novidades e atualizações, direto em seu e-mail