3 dicas para criação de um bom aplicativo para a sua marca #cirandablogs

Os dispositivos móveis são um universo completamente novo para ser explorado pelas marcas, mas, por enquanto há poucas que sabem fazer isso bem. O crescimento do uso de dispositivos móveis tem despertado cada vez mais interesse das marcas, que procuram fazer parte do dia-a-dia dos usuários.

A presença em redes sociais, criação de email mobile e sites para dispositivos móveis já coloca uma marca dentro do smartphone dos consumidores, mas podemos ir muito além. Para isto, gosto de citar um termo trazido por Terence Reis do Mobile Marketing Association, que se chama share of hardware (participação de hardware, em tradução literal). O termo significa que as marcas devem procurar estar cada vez mais participantes dentro do smartphone e tablet de seus consumidores.

Hoje em meu smartphone, por exemplo, tenho mais de 100 aplicativos instalados, entre todos estes, apenas 3 são de marcas – claro que todos têm sua própria marca, mas neste caso me refiro aos que não são originalmente aplicativos. Entre estes três, está um aplicativo de banco, de comparação de preços e da operadora de telefonia. Por que não baixo mais aplicativos de marcas? Provavelmente porque eles não se encaixam em nenhuma dessas três dicas abaixo.

smartphones-aplicativos

Seja uma ferramenta, não uma propaganda.

Um dos principais erros na criação de um aplicativo para dispositivos móveis é pensar que você é obrigado a estar lá, portanto, qualquer coisa que você fizer, será o suficiente. Apesar de ter muito espaço, ninguém gosta de ficar acumulando aplicativos que não usa. Se você oferecer algo que não é útil, ele será desinstalado, com certeza.

Pense em alguma coisa que vai ajudar o seu consumidor, algo que faça aquele download valer a pena. Mesmo um aplicativo de conteúdo pode ser muito interessante, caso o seu consumidor não consiga acessar aquilo de outra forma. Mas muito cuidado, se você fizer um aplicativo que, apesar de interessante, já existe outro que faça, a chance do seu fracassar é grande.

O valor de você colocar a sua marca dentro dos aplicativos do usuário é inestimável, já que ele vai vê-la praticamente todo o dia. Caso o seu aplicativo seja muito bom, a chance aumenta mais ainda, já que ele correrá menos risco de ficar naquela pasta “aplicativos que nunca uso”.

É importante salientar que a forma e quantidade de vezes que a sua marca aparece durante o aplicativo também é importante. Se você ficar “escancarando” a sua marca por todo canto, você pode acabar atrapalhando a experiência do usuário com aquele app e, se não for boa, ele irá trocar por um melhor.

Seu sistema, suas regras.

Quando estiver trabalhando em um aplicativo, planeje bem como ele irá se comportar em cada plataforma. Apesar de parecer tudo igual, há muita diferença entre um aplicativo feito para Android, para iOS ou para Windows Phone. Um aplicativo que foge muito do padrão terá uma chance menor de ser utilizado. Estude os guias de interface de cada plataforma, procure se informar como cada sistema é usado, conheça o smartphone que irá baixar o seu aplicativo.

Nesta dica entra também o comportamento do aplicativo, por isso, evite criar algo que possa se tornar irritante. Imagine um aplicativo que lhe envia notificações o tempo inteiro, seria irritante, certo? Você deve permitir que o usuário customize o seu aplicativo, escolha se ele quer ou não receber notificações. Será que ele deve atualizar as informações automaticamente? E se isso gastar muita bateria, o usuário poderá desativar as atualizações? Pense em tudo isso.

Não queira consumir muito espaço também. Apesar de a maioria dos smartphones ter bastante espaço, não quer dizer que as pessoas queiram gastar todo ele apenas com o seu aplicativo. As lojas de apps (Apple App Store e Google Play) têm limite do tamanho do app, mas não têm limite da quantidade de download que ele pode fazer, mas isso não quer dizer que você deve fazer um aplicativo de 1Gb. Em caso de jogos, você provavelmente irá usar bastante espaço mesmo, mas cuidado mesmo assim.

Melhore, sempre.

Um dos principais erros dos aplicativos de marcas é a falta de atualização. Seja para a correção de bugs ou para a implementação de novas funcionalidades, é sempre importante estar atento ao seu aplicativo, procurando melhorar ele, atualizar para as novas versões do sistema e melhorar sempre a experiência do usuário.

ios-app-error

Lembre-se que além do seu aplicativo, existem milhares de outros por aí. Vai fazer um aplicativo de tempo? Existem dezenas de outros, por que eu deveria usar o da sua marca e não um outro qualquer? Dependendo do tipo de aplicativo que escolher, talvez você precise ficar sempre melhorando para evitar que algum aplicativo novo apareça e tome o seu lugar.

De uma forma geral, é sempre importante lembrar que é melhor investir alto em um aplicativo muito bom do que investir um pouco menos e ver o seu app se tornar obsoleto muito rápido.

PUBLICADO POR

Dennis Altermann

Fundador-Editor aqui no blog Midiatismo, trabalhando com marketing digital na DuPont Pioneer do Brasil. Entusiasta e estudioso nas áreas de comunicação, cultura, comportamento e tecnologias digitais.

Novidades e atualizações, direto em seu e-mail